Quarta-feira, 29 de Novembro de 2006

Tu ... um encontro ...

Um encontro … um encontro fortuito … vindo do acaso … do nada …
E tu apareces … e mais uma vez … tu …
Mais uma vez tu … na minha frente … com esse jeito descontraído de tombar a cabeça … és tu … novamente …
Um “Olá” … surpreso … sai da minha boca … a medo … muito a medo …
Perguntas se podemos falar …
Sem tirar os olhos de ti … permaneço por momentos calada…
“Sim … claro que sim…”
Começas por perguntar … coisas de circunstancia … e a cada palavra tua o meu coração como louco … acelera as suas batidas … a cada movimento teu … o meu coração se antecipa em sobressaltos …
Peço-te para que me olhes nos olhos …
E fitando o azul estonteante dos teus … peço-te que me digas porquê …
Porque foi que tudo aconteceu???
Peço-te … que desta vez as verdadeiras razões sejam dadas… esclarecidas …
Num sussurro … e sem descolar o meu olhar do teu … questiono-te … “PORQUÊ…”
Sacodes os ombros … oscilas a cabeça … esse teu jeito de nervoso …
As tuas mãos se agitam no ar numa tentativa de descrever o teu pensamento …
E … pedes desculpa …
Porquê???
Desculpa??? Não … não são essas as palavras que quero ouvir …
Apenas quero ouvir as verdadeiras razões … aquelas que o teu corpo me contou e a tua boca me negou … essas …
E logo os meus olhos ficam nublados pelas lágrimas que ameaçam sair …
Faço um esforço … tento reter este meu doer … este meu pesar …
Quase inutilmente … uma lágrima … rola pela minha face … e tu …
Tu … que estavas mesmo à minha frente … com o teu cheiro … com esse olhar de menino … tu …
Tu … esfumas-te … no meu pensamento e acordo …
Acordo com o meu coração alvoraçado … sofrendo … a face molhada …
Olho em volta … a pequena luz de presença apenas deixa descortinar … objectos frios … e o teu lado … vazio …
Um suspiro violento sacode o meu corpo … e deixo-me tombar na almofada … onde me enrosco e procuro algum calor ….
A manhã ainda vem longe ……..
Sinto-me:

Publicado por Luminusidade às 22:55
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
Segunda-feira, 27 de Novembro de 2006

VAZIA!

Como me sinto hoje…?
Nem eu posso … ou consigo responder …
Reflicto … e a palavra que me assola o pensamento é….
VAZIA …
Parece … que as lágrimas secaram … deixando um pranto seco e árido
O fogo da dor consumiu-me … deixando-me em cinzas …
É assim que me sinto … VAZIA …
Os pensamentos de ti … apagaram-se … desvaneceram-se … e deram origem ao nada … o meu dia-a-dia … é uma perfeita insignificância …
Insignificância de gestos … autómatos … gastos … que se arrastam nos minutos e nas horas que percorrem o dia … e a noite …
Insignificância de pensamentos … ocos … sombrios …que deixam a minha mente melancólica ….
Insignificância de ser … criando … esta criatura abatida … nostálgica …
Não me reconheço … melhor … não me reconhecem …
Sinto-me VAZIA …
Olho mas não enxergo …
O meu olhar … perde-se … no nada …
Não posso dizer que te procuro … ou que me procuro …
pois isso significava ter algo dentro de mim …
algo que me impelia a fazer  … a dizer … a querer …
Era uma esperança … era um motivo … uma razão … algo …
Não …
Apenas “olho” …
Olho … porque os meus olhos … abertos … mas cegos do real … se dirigem para um ponto … o nada …
Hoje sinto-me … VAZIA!
Sinto-me: Vazia ...

Publicado por Luminusidade às 21:25
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 23 de Novembro de 2006

Saudade ... saudade

De madrugada
entrei nos meus sonhos
de mansinho …
Revi as paixões,
o carinho… a ternura
E dancei um bailado de saudade
A saudade que tenho de ti...
Agora … ao cair da noite …
sou assaltada pelas sombras …
Sombras do passado vil …
quero fugir delas
Quero ter de novo o sol …
Mas esse … teima em não voltar
A noite cai … apressadamente
e como ela volta a minha tristeza
tenho frio …
tenho medo …
Um grito mudo fica preso na garganta …
grito de dor … de mágoa
fecho-me no meu corpo …
enrolo-me no sofrimento …
e sei …
vou de novo ...
adormecer em pranto.
Sinto-me:

Publicado por Luminusidade às 17:44
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Segunda-feira, 20 de Novembro de 2006

Ontem fui surpreendida ...

Ontem fui surpreendida … da forma mais maravilhosa e inesperada ….
Ontem … no final do dia … já início da noite … tive uma prova de amizade inesquecível …. admirável … surpreendente ….
A propósito … de um filme … duas amigas … que guardo no coração … conseguiram arrancar-me destas paredes … gastas pelo meu olhar …
No final … e já no período de despedidas … uma delas de forma quase envergonhada e simples …. oferece-me um livro … ainda embrulhado ….
Naquele momento …. e a ainda sem saber de que livro se tratava … fiquei imensamente sensibilizada … e sem reacção …
É do conhecimento de todos os que me rodeiam … o meu gosto pela leitura … o meu vício pelas palavras …
Claro que agradeci … e teci comentários jocosos … sobre o possível teor do livro …
Quando cheguei a casa …. a primeira coisa que fiz foi abrir rapidamente o embrulho e satisfazer a minha muita curiosidade ….
E foi nesse instante … nesse momento… que me apercebi… do quanto era amada por ela ….
As lágrimas rolaram pela minha face … não de dor … como têm sido ultimamente … mas de felicidade….
Estava feliz …. estava imensamente feliz ….
Recebi a prova de amizade mais surpreendente …. esta minha Amiga …. conhece-me … reside dentro de mim e sabe o que respiro e choro ….
É daquelas amigas que não precisamos de falar seja o que for para saberem como estamos …. o que sentimos …. o que nos vai na alma …. basta-nos um olhar …
um encontro de olhos ….
O título do livro é “A inutilidade do Sofrimento” ….
Rapidamente enviei um SMS … agradecendo do fundo do meu coração… novamente … e a comunicar-lhe o quanto oportuno era … e o quanto era útil neste momento …
Encostei-me no sofá … e abri as primeiras páginas …
Os meus olhos logo se prenderam às primeiras mensagens nelas redigidas … e foram percorrendo linha a linha …. paragrafo a paragrafo … página a página …
Bebia com sofreguidão cada palavra … cada situação descrita …
Uma ideia … quase única … era desenhada pela escritora (uma psicóloga clínica)…
Toda a nossa acção é comandada pelo pensamento que a antecede ….. sim eu sei …. uma verdade universal …
O mais espantoso … prende-se com o facto de que … são muitas e muitas as vezes … que interiorizamos “frases”…. pensamentos …. que nos momentos de dor e mágoa … ficam presos no nosso inconsciente e se tornam o nosso cativeiro …
São formas de pensamentos negativistas …que surgem dos nossos lamentos … da nossa dor e sofrimento … e sem nos apercebermos …. ficam registados no nosso inconsciente e tornam-se recorrente … prolongando a nossa amargura …. e passamos a ser pessoas resignadas dentro da dor … e infinitamente tristes …
Li … páginas e páginas …. e sem me dar conta … apercebi-me de que era isso …. Sempre que olhava o passado recente … o meu pensamento tinha tons de derrotismo … culpa …
Tomei uma decisão …. fechei o livro …na página 59 … uma caixa de texto deixava o recado “Temos pouco controlo sobre as condutas dos outros, e menos ainda sobre os seus pensamentos, mas podemos sempre controlar os nossos pensamentos, aquilo que repetimos sem parar. Este controlo impedir-nos-á de sofrer inutilmente.”
É isso …
Tenho de rever os meus pensamentos …. quero eliminar todo tipo de pensamento mesquinho … de erro …. e de responsabilidade por tudo e pelo nada …
A partir de hoje ….. quero ter uma atitude diferente … sei que não é possível mudar este peito inflamado de dor e padecimento … de um dia para o outro …. mas quero poder dirigir toda a forma perjurativa de espírito num sentido mais positivo … rumo à parta de saída deste inferno em que me envolvi ….
 
OBRIGADA MINHA AMIGA ALCINA ….. OBRIGADA
 
Sinto-me: Esperança ....

Publicado por Luminusidade às 22:10
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Quarta-feira, 15 de Novembro de 2006

E agora?? ...

Estava longe de acreditar num dia assim …
Estava longe de acreditar … que de ti … apenas conheci a máscara que colocaste quando me conheceste …
Estava longe de acreditar … nas palavras insensatas que me diziam a teu respeito …
Foi preciso … tu afastares-te para que eu pudesse ver o que tu és na realidade …
Estava longe de acreditar … nos meus olhos … nos meus pressentimentos…
Quantas vezes … me puni … por sentir que poderia estar a ser injusta …
Quem és tu afinal???
Quem era a pessoa que eu amei???
Quem esteve no meu lado este tempo todo …. quem se deitou comigo na mesma cama e comungou de horas de puro sentimento (pensava eu!!!)
Como pude me enganar tanto a teu respeito???
Não te conheço … e no entanto ainda te amo …
Que vil sentimento percorre o meu peito … ao ver o quanto me enganei a teu respeito!!!
Interrogo-me … minuto após minuto …
Tu és aquele me descrevem … que eu vejo agora … ???
Tu és aquele ser … destituído de carácter … sem princípios … sem sentimentos … frio e calculista???
Poderei eu ter estado tão enganada assim???
Ou …. será essa a máscara que decidiste colocar … agora???
De repente … sim … como um estalido … a minha cabeça fica povoada de imagens atrozes … e o meu peito inflama …. numa atitude de negação perante o meu sonho destruído … a tua imagem arruinada …
Nunca … mas nunca … te desejei algo que não fosse felicidade e êxito …
E agora … agora que não te conheço … e não são meras palavras … mas sim um sentimento reflectido e bem determinado …
E agora …
Que posso desejar a alguém … como tu?? …
Sinto-me: Destroçada

Publicado por Luminusidade às 19:39
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 13 de Novembro de 2006

Hora do meu queixume ...

Hoje sequei as minhas lágrimas … levantei a cabeça … e mergulhei no trabalho…
Quem eu quero enganar??? … os meus olhos ainda vermelhos … o coração ainda a sangrar … os meus passos ainda tremules …
Mas tentei …
Tentei de novo ver o sol … tentei de novo retomar o dia-a-dia …
As horas … pesarosas … foram passando …
Quanto custaram a passar …
Todo o esforço que fazia para me concentrar … foi em vão … tu estavas lá…
Tu … ocupavas todo o meu tempo … o meu pensamento …
Respondia de forma mecânica … e errónea …
Mergulhava nos olhos incrédulos dos meus alunos … e revia a figura patética em que tornei …
De novo me esforçava para exercer de forma profissional a minha missão …
E deixei que o rumo dos meus pensamentos mudasse de direcção … mais uma vez tu…
Sempre tu …
Quero gritar que te afastes do meu pensamento como te afastaste de mim …
Mas a voz trai-me e num sussurro … procuro responder às questões que me são colocadas …
Em todas as aulas …. todas mesmo … criou-se um silêncio atroz …
Queria sentir o burburinho irrequieto dos meus alunos … precisava dele …
Mas estranhamente … também eles se sentiam impelidos ao silêncio … a mergulharem nos seus pensamentos …
Pensavam no porquê desta minha mudança … antes tão alegre e expansiva … agora tão silenciosa e triste …
Quem eu quero enganar? … Quem eu quero enganar?? …
De novo em casa … e deixo o meu lamento tomar forma …
De novo só … sem ter de usar máscara …
Aqui … neste canto … deixo-me prostrada … dar asas ao meu pranto …
Deixo que as lágrimas aliviem tamanha mágoa …
É a hora do meu queixume …
Sinto-me:

Publicado por Luminusidade às 20:53
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 11 de Novembro de 2006

"Lágrima"

 

Hoje … remexendo em papéis … papéis de passado … encontrei este poema de Amália Rodrigues …

Lindo …. melancólico …

Um bjinhos imenso a todos os meus amigos …. E desejos de uma noite muito feliz, em especial à minha Querida Amiga Bianca .... eternamente grata.

 

“Lágrima”

 Cheia de penas me deito

E com mais penas me levanto

Já me ficou no meu peito

O jeito de te querer tanto

 

Tenho por meu desespero

Dentro de mim o castigo

Eu digo que não te quero

E de noite sonho contigo

 

Se considero que um dia hei-de morrer

No desespero que tenho de te não ver

Estendo o meu xaile no chão

E deixo-me adormecer

 

Se eu soubesse que morrendo

Tu me havias de chorar

Por uma lágrima tua

Que alegria me deixaria matar

Sinto-me:

Publicado por Luminusidade às 22:49
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 10 de Novembro de 2006

Não sei o quê ...

Deixei que as gotas de água percorressem o meu corpo … incessantemente …
Deixei que o seu calor me aquecesse … sentia-me gelada … e muito cansada …
Aos poucos … o seu calor foi-se entranhando no meu corpo … e dando-me uma sensação de calma … que há muito não sentia ….
De repente … estremeci … um arrepio percorreu todo o meu corpo … como uma descarga eléctrica …
Era a tua imagem que invadia este meu pequeno sossego …
Os teus olhos … percorreram-me … devagarinho … tentando escrutinar cada pedaço do meu eu …
Fechei os olhos … violentamente … para apagar essa imagem … mas cada fragmento da minha pele … gritava pela tua …
Que frio … que angústia … que tormento …
Viro os olhos ao céu … e peço … peço a Alguém mais poderoso … que me ajude … que me ajude a esquecer-te …. que me ajude a afastar a tua presença …
Fecho a água … enrolo-me no roupão … e tento alcançar a cama …
As pernas tremem … as mãos tremem … todo o meu corpo treme … enrosco-me no edredão … mas não paro de tremer …
Quero deixar-me abandonar a este sofrimento … deixar que tanta dor me mitigue de uma só vez … e se extinga …
Eu sei que não será assim … esta dor é caprichosa ….
Esta dor … quer-me corromper devagarinho …. e de forma continua … obstinada
Esta dor … não me quer deixar tão depressa ….
Tomo uma resolução … como se a minha razão estivesse vigilante …
Quero abraçar essa dor … quero torná-la minha amiga … quero que essa dor me mostre a melhor forma de conviver com ela …
Quero saber conjugar a palavra sofrimento … em todos os tempos verbais … sim … todos … até aprender a forma passado …
Sorrio … sorrio da loucura de tal pensamento … mas mesmo sendo louco …. Não me parece despropositado … deixo que o meu corpo se acomoda à cama fria e vazia … Tenho de saber conviver com esta forma de solidão ….
Sinto-me:

Publicado por Luminusidade às 14:59
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Quinta-feira, 9 de Novembro de 2006

Quero reagir ...

Sento-me à frente do computador … disposta a dar asas ao meu sofrimento … mas as palavras ficam mergulhadas … afogadas … pelas lágrimas entrecortadas por soluços e lamentos.
Tento de novo …. sacudo a dor … mas os dedos trémulos continuam pousados sobre o teclado … teimosamente quietos ….
Inspiro devagar … levo-a à boca um pouco de café … e sinto o seu cheiro ….
Logo o meu pensamento é transportado para outros momento … momentos que pertencem ao passado … ouço vozes … barulhos vários de colheres e chávenas a bater nos respectivos pires … e tu lá … lendo o jornal … comentando esta ou aquela notícia …
Sacudo de novo esse pensamento … tento voltar ao dia de hoje … ao agora … mas dói tanto …
Sinto-me:

Publicado por Luminusidade às 12:15
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 8 de Novembro de 2006

Tu ... ainda tu

Hoje voltei àquele café onde pela primeira vez estive contigo
Procurei a nossa mesa …. mas estava ocupada por duas pessoas que falavam baixinho e riam … riam muito …. fizeram-me lembrar de nós ….. também nós falámos baixinho … também nós rimos …. rimos muito….
Foi o nosso primeiro dia …. foi o nascer de um sentimento …que julgava eu ser eterno …
Dias mais tarde culpaste a empregada …. por este sentimento que nos unia …. e nos agarrava à vida …. brincadeira … claro ……
Dizias que ela tinha colocado qualquer coisa no café … e que estávamos enfeitiçados ….
E mais uma vez riamos …. e agarrados nos braços um do outro …. suspirávamos …. ternamente …. e agradecidos por isso …..
Hoje …. tremo ao lembrar esses dias ….. e as lágrimas fazem um esforço desesperado para sair …. e eu a todo custo …. encontrando a força que pareço já não ter … evito-as
Evito-as …. aqui …. em publico … pois sei que elas são mais fortes do que eu …. e não tarda satisfarão o seu capricho ….
E vou voltar a chorar….. a chorar por ti
Porque me pediste para ficar contigo?? …. se não tinhas intenção de permanecer????
Saio … após tomar um café rápido …. rápido para não ter de lembrar …. o que tanto me faz sofrer ….
E já no carro …. sozinha …. deixo que as caprichosas lágrimas rolem no meu rosto …. Prostrada sem vontade própria …
Porque me pediste para te amar ??? …. se não tinhas intenção de corresponder ….????
Está sol … mas dentro de mim permanece esta escuridão …. esta dor ….
Como estarás??? …. Pergunto-me constantemente….
Será que algum dia soubeste …. ou irás saber …. o quão presa a ti fiquei???? …
Respirava …. porque tu existias e …. vivia … porque tu eras a minha própria vida ….
Hoje … não respiro …. sufoco ….
Hoje não vivo …. morro de tormento … angústia e solidão ….
Sinto-me:

Publicado por Luminusidade às 17:38
link do post | comentar | favorito

.Mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 9 seguidores

.Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.Posts recentes

. Um Santo e Feliz Natal

. Feliz 2017

. Feliz Natal

. Um ano de 2016 muito feli...

. Mensagem de Natal

. Feliz Natal e um bom ano ...

. ...

. Um feliz 2014

. Amanhã ...

. Um Feliz e Santo Natal

.Arquivos

. Dezembro 2017

. Dezembro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Dezembro 2013

. Maio 2010

. Dezembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Junho 2006

.tags

. todas as tags

.Favoritos

. Sonhos de Abril desfeitos...

. o maior tesouro do mundo

. A mulher à beira Tejo...

.Fazer olhinhos

.Contador (27.11.06)

online
SAPO Blogs

.subscrever feeds